Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘quinoa’

Ingredientes
Quinoa em flocos, aveia em flocos, nozes ou amêndoas, creme de amendoim e melado

superhealthykidsQuinoa Coconut Bars steps copy

Torre rapidamente a quinoa e  a aveia.
Misture com as nozes ou amêndoas.
Á parte, misture o creme de amendoim com o melado.
Leve ao fogo para aquecer, não deixe ferver.
Misture tudo. Coloque em uma forma apertando bem a massa
Leve ao forno por 5 minutos
Espere esfriar e corte.

Coloque creme de chocolate…

skinnyms

… ou faça com outros ingredientes

Granola, Coco ralado, Uvas passas, pingos de chocolate, castanhas, amaranto, quinoa em grãos, arroz integral torrado,  farelo de grão de bico, amendoim, etc.

Fonte: SuperHealthyKids

Mais:  Receitas para crianças

Anúncios

Read Full Post »

Utilizar a quinua/quinoa em receitas pode ser benéfico não apenas pelo lado culinário, mas principalmente por suas propriedades nutritivas.

Sem glúten, garante pratos deliciosos, combinados com os ingredientes mais variados, e ainda cálcio, ferro e proteínas de primeira!

*****
Anéis de abóbora recheados com quinua

1/2 xicara de quinua bem lavada.
1 xicara de caldo de legumes
1 colher de sopa de azeite de oliva
1 cebola média cortada em cubos
1 maçã, sem caroço, cortada em cubos
1/2 xicara de cogumelos picados
2 colheres de sopa de sálvia picada
2 colheres de sopa nozes picadas
sal
1 colher de chá de açúcar mascavo ou xarope de bordo.

ohmyveggieModo de fazer
Preaqueça o forno e unte a assadeira.

Cozinhe a quinua no caldo de legumes. Deixe esfriar um pouco.

Aqueça o azeite em frigideira com a cebola até dourar. Mexa sempre para que o óleo não aqueça em demasia (fogo médio/baixo).

Adicione a maçã.
Cozinhe cerca de 5 minutos mais. Deixe esfriar ligeiramente.

Combine a quinua, a maçã e a cebola, cogumelos, sálvia, mascavo e nozes em uma tigela grande.

Se preferir incrementar mais o sabor, coloque azeitonas pretas.
Tempere com sal e ervas, se desejar.

Corte a abóbora em rodelas, e abra o meio para colocar o recheio.

Pode forrar o fundo da forma com papel manteiga em vez de untar.

Pincele com azeite e leve ao forno por cerca de 20 minutos ou mais.

LEITE DE QUINUA

1/2 copo de quinua
Água
1 pitada de sal

Coloque a quinua em uma peneira de malha fina,e lave várias vezes para retirar as saponinas. Repita a operação por cerca de 7 a 8 vezes.

Depois, coloque em um recipiente de vidro, e cubra com água, para que fique de molho entre 8 a 12 horas.

Cozinhe a quinua por cerca de 20 minutos, até que absorva toda a água.

Bata com mais água, até a consistência desejada.

Acrescente favas de baunilha (evite essências artificiais), cacau, canela, alfarroba ou outro aromatizante natural, frutas como banana, damasco, etc.

saladquinuaTABULE DE QUINUA

3/4 xícaras de água
1 xícara de quinua
1/2 xícara de tomate picado sem sementes
1/2 xícara de hortelã fresca picada/nirá/salsinha
1/4 de xícara de passas
1/4 xícara de pepino picado
1/4 xícara de suco de limão fresco
2 colheres de sopa de cebolinha picada
1 colher de sopa de azeite de oliva (ev)
2 colheres de chá de cebola picada fresca
1/2 colher de chá de sal
Raspas de gengibre

Deixe a quinua de molho por 15 minutos. Lave.
Cozinhe com a água por cerca de 15 a 20 minutos.
Misture com os outros ingredientes.
Deixe na geladeira até servir.

PAPA DE QUINUA COM COCO

1/2 xicara de coco ralado (caseiro)
1 xicara de quinua
1 xicara de leite de coco caseiro
1 pitada de sal

Cozinhe a quinua conforme a receita acima, com o leite de coco e o coco ralado, até absorver toda a água. Coloque a pitada de sal. Se preferir, pode acrescentar canela. Prontinho 🙂

images (27)Como fazer farinha de quinua/quinoa
(para cupcakes, muffins, bolos, farofa, tortillas, panquecas vegans, etc)

2 xicaras de quinua

Coloque a quinua em uma peneira de malha fina.
Lave várias vezes para retirar as saponinas. Deixe escorrer bem a água. Espalhe em uma forma grande, e deixe secar completamente.

Leve ao forno ou coloque em uma frigideira, por cerca de 5 minutos.

Em seguida, bata no liquidificador ou processador até virar farinha.

Armazene em recipiente esterilizado e bem fechado.

TORTILLAS DE QUINUA/QUINOA

2 xicaras de farinha de quinua/quinoa
1 xicara de água
1 pítada de sal marinho
óleo para untar

Faça como panquecas. Misture a farinha com a água e a pitada de sal. Unte a frigideira aquecida. Coloque em fogo médio. Coloque a massa às colheradas.

quinoasVeja mais em:

Quinoa: Boa para celíacos, alérgicos e vegetarianos

Mais Receitas com quinoa no álbum de fotos do grupo Alimentação e Saúde Infantil

Read Full Post »

Li aqui

The Vegetarian Resource Group

que nos EUA,  3,2% da população é VEGETARIANA.

Não parece, mas é gente pra dedéu!

Segundo a revista Vegetarian Times, no estudo “Vegetarianism in America” , isso dá em torno de 7, 3 milhões de pessoas que não consomem carnes, com um belo percentual das que não tomam leite, passam manteiga no pão, apreciam iogurtes, queijos e afins.

Está bom.  Primeiro porque, quando falamos em “estudo realizado por uma revista americana”, sabemos que não é o mesmo que dizer sobre as dificuldades para que pesquisas de qualquer espécie sejam realizadas no Brasi.

Segundo, porque coloca por terra os argumentos de quem recita o “tem que comer carne… tem que tomar leite… “, como se vegetarianos fossem extraterrestres impossíveis de respirar sobre a terra (aliás, possuem realmente alguma dificuldade pela desinformação em torno deles).

Se assim fosse, como viveria a população da Ìndia, que abriga a maior parte de vegetarianos do mundo todo?

Em sua monografia: “Considerações sobre alimentação complementar com foco em crianças vegetarianas e veganas a partir de uma visão da Nutrição Funcional”, a nutricionista Grasiela Popper expõe os seguintes dados:

Crianças ovolactovegetarianas têm crescimento semelhante ao das não vegetarianas.

Crianças asiáticas vegetarianas nascidas no Reino Unido são maiores que as nascidas na Índia, Paquistão ou Bangladesh, diferença atribuída ao maior acesso a variedade de alimentos e menor incidência de doenças infecciosas (WARRINGTON & STOREY, 1988).

O crescimento de crianças adventistas do sétimo dia, que são vegetarianas, não mostrou diferença em comparação às não vegetarianas.

No entanto, alguns estudos com crianças veganas mostram menor crescimento nos primeiros 5 anos, com maior crescimento próximo aos 10 anos.

A altura é normal em crianças veganas mas há a tendência de terem menor
Índice de Massa Corporal em comparação a crianças que consomem dietas
mistas.

O consumo de produtos de origem animal pode ser estimulante para o
crescimento e é preciso ter equilíbrio no seu uso.

Por exemplo, um quilo de queijo é feito com 10 quilos de leite; além de hormônios e medicamentos dados aos animais, o leite contém insulina, estrogênio, progesterona, testosterona, prolactina e outros hormônios bovinos naturais que ficarão concentrados no queijo além da gordura saturada .

A Associação Dietética Americana e as Dietistas do Canadá informam que dietas veganas e outros tipos de dietas vegetarianas são apropriadas para todos os estágios do ciclo de vida, incluindo a infância (ADA, 2003).

As considerações nutricionais mais discutidas para crianças vegetarianas e veganas são apresentadas abaixo:

Energia

O menor crescimento verificado em algumas crianças vegetarianas com
idade menor que 5 anos pode ser atribuída a baixa ingestão energética.

A ingestão energética de crianças veganas acima de 5 anos é similar àquela de crianças em dieta mista.

Estudo realizado em primatas, que avaliou os efeitos da ingestão calórica sobre a saúde geral, indicou que uma alimentação com mais nutrientes e menos calorias promove não somente tempo de vida maior, como envelhecimento mais lento.

A dieta vegetariana acompanha esta indicação (Messina & Messina, 1996).

Proteínas
Ovolactovegetarianos e veganos alcançam e até excedem as necessidades de proteínas .

Uma metanálise avaliou o equilíbrio de nitrogênio e não encontrou diferenças significativas de acordo com a fonte de proteína utilizada na dieta.

A combinação de fontes vegetais, como cereais, leguminosas, oleaginosas e produtos de soja garantem o equilíbrio da necessidade diária de aminoácidos (INSTITUTE OF MEDICINE, 2002).

Todos os legumes, verduras e grãos contêm todos os aminoácidos essenciais e não essenciais, o que diferencia são as proporções entre eles, por isso a combinação garante a adequação.

Cálcio
Um artigo de revisão que avaliou a densidade óssea de vegetarianos,
concluiu que não há diferenças nos índices de avaliação de saúde óssea entre
ovolactovegetarianos e onívoros.

Outro estudo  concluiu que não há diferenças significativas sobre os índices avaliados, quando o cálcio provém apenas de fontes vegetais ou quando inclui produtos lácteos, apesar da diferença quantitativa de cálcio nas duas dietas.

Estudos mostram que alta quantidade de proteína e baixa de potássio
promovem perda urinária de cálcio retirado do osso para neutralizar o pH
sanguíneo.

O consumo de frutas e vegetais diminui a acidez da dieta e contêm micronutrientes, como o potássio, que protegem a perda de cálcio do osso.

Além disso, quantidades elevadas de sódio(das carnes) também contribuem
negativamente para o balanço de cálcio, por aumentar sua perda pela urina.

Dietas vegetarianas e veganas contêm maiores quantidade de frutas e
outros vegetais que dietas mistas .

Além disso, consomem mais folhas verdes, o que contribui para o aporte de vitamina K .

O consumo de sal é menor, outro fator protetor do metabolismo

ósseo.

Ferro
O ferro contido nos vegetais é o ferro não heme, que é mais sensível do
que o ferro heme tanto aos estimuladores quanto aos inibidores de absorção.

O maior inibidor de absorção do ferro é o fitato; outros inibidores incluem cálcio, polifenóis de chás, cacau e café, sais fosfatos, antiácidos, proteína de soja e ovo.

Entre os elementos que favorecem a absorção de ferro estão a vitamina C
e outros ácidos orgânicos de frutas e vegetais, vitamina A e carotenóides.

As recomendações diárias para ferro sugerem, para vegetarianos, uma ingestão 1,8 vezes maior que para não vegetarianos considerando a menor disponibilidade de ferro na dieta vegetariana (INSTITUTE OF MEDICINE, 2001).

Mangels e Messina (2001) sugerem suplementação de ferro de 1 mg por quilograma de peso da criança por dia (1mg/kg de peso/dia) começando entre 4 a 6 meses de idade da criança.

Vegetarianos tendem a ter menores estoques de ferro que onívoros, mas não têm mais incidência de anemia que estes, nos artigos que avaliaram hematócrito, hemoglobina e saturação de transferrina; já os níveis de ferritina se mostraram mais baixos em vegetarianos em 2 de 3 artigos revisados.

Estoques elevados de ferro têm sido relacionados com maior risco para
algumas doenças e as DRIs para ferro recomendam que homens e mulheres, após a menopausa, não recebam ferro suplementado, independente se são vegetarianos ou não.

Porém, isso é vantajoso para os vegetarianos pois o ferro heme foi relacionado com aumento de risco de câncer cólon retal por formação de fatores citotóxicos.

A ferritina elevada foi relacionada com aumento de risco para doença coronariana e a ferritina mais alta com menor sensibilidade à insulina, um ponto positivo para vegetarianos.

Vitamina B12
A vitamina B12 ou cobalamina é sintetizada por bactérias e fungos e
está presente nos alimentos de origem animal como leite e ovos.

O Guia para vegetarianos norte americanos relata que veganos que não
recebem suplementação, não estão providos de vitamina B12, mas os
ovolactovegetarianos sim, desde que tenham uma dieta adequada.

Este guia sugere o consumo de 4 fontes de vitamina B12 ao dia, para gestantes e lactantes, e caso isto não ocorra, sugere a suplementação de 5 a 10mcg diários ou 2000 mcg semanais.

O leite humano tem ligantes para vitamina B12 e ácido fólico, semelhante à lactoferrina, o que confere poder bacteriostático e garante a absorção destas vitaminas.

Estudos indicam que os estoques de vitamina B12 não são acessados
para a manutenção de níveis dessa vitamina no leite materno, assim, é
importante que a lactante vegana ou vegetariana tenha fontes diárias
suficientes (alimentos fortificados, leite e derivados ou ovos) ou suplemente
esta vitamina.

Na ausência disto, é necessário que o lactente receba suplementação diária de 0,4 mcg até o sexto mês e 0,5 mcg após os 6 meses até 1 ano de idade.

Após 1 ano, alimentos fortificados com vitamina B12 podem servir de fontes desta vitamina.

RECEITAS PAPINHAS VEGETARIANAS/VEGANAS PARA BEBÊS

RECEITAS VEGETARIANAS E VEGANAS

LEITES VEGETAIS / ALIMENTOS SUBSTITUTOS DO LEITE DE VACA E SOJA

Read Full Post »

k6616845Antes da chegada do “homem branco”, o povo Inca cultivava e louvava a Quinoa como a “Mãe dos seres humanos”.

Fazia mais que alimentar o corpo, dando a seus consumidores poderes de vitalidade e plenitude.

Entretanto, eis que, em 1532, chegaram os espanhóis por aquelas bandas.

Em sua ânsia dominadora, dizimaram toda uma cultura, roubaram seus bens, levaram seus pertences e tiraram suas vidas.

Ainda proibiram o cultivo e uso da Quinoa pela população, assim como fizeram com o Amaranto, quando estiveram entre o povo Azteca.

Utilizado em rituais religiosos, o Amaranto também entrou para a lista dos excomungados.

E por conta da perseguição, seu plantio passou a ser realizado em locais de difícil acesso, na Cordilheira dos Andes, entre o Peru e a Bolivia, da mesma forma que a produção de Quinoa.

Timidamente, a Mãe de todos os grãos voltou à cena na década de 1970, trazida por projetos de nutrição destinados ás populações andinas.

Quem não gostou nada foram os padeiros locais, já que Quinoa não contém Glúten, importante na fabricação dos pães.

Atualmente, encontramos Quinoa com certa facilidade, em lojas de produtos naturais, em grãos vermelhos, roxos, verdes, rosas, lavanda, laranja, vermelho vinho, negros, amarelos ou mostarda.

É rica em todos os aminoácidos essenciais, e por seus teores de Cálcio e Ferro, uma excelente opção para substituir soja, leite de vaca, carnes, etc.

Receitas com Quinua/Quinoa

Receitas com Quinua / Álbum de fotos grupo Alimentação e Saúde Infantil

Read Full Post »