Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘Organismo Geneticamente Modificado (OGM)’

thetruthaboutag_com
Sempre que a questão hormônios no frango é levantada, uma legião de defensores da indústria avícola afirma categoricamente que não, não tem.

Os animais crescem tanto devido aos cuidados com saúde, uso de antibióticos e cruzamento seletivo.

O conceito de Seleção natural foi proposto por Charles Darwin e Alfred Wallace em 1945. Em resumo, quer dizer que apenas os fortes sobrevivem.

Os cientistas das indústrias de alimentos decidiram dar uma força para a natureza, criando ao longo das 3 últimas décadas matrizes mais robustas e resistentes.

Dessa época em diante, antibióticos se transformaram em “promotores de crescimento”, contrariando a lógica, e a seleção natural se mostrou muito mais que fenômeno da natureza.

Veja aqui: Por que a taxa de crescimento de frangos é tão rápida atualmente?

illiliberation_wordpressEm 18 de agosto de 2001, a revista New Scientist anunciou que a empresa farmacêutica Embrex (leia-se Pfizer), financiou 4,7 milhões de dólares para experimentos de clonagem de frangos para a indústria avícola.

Nessa mesma época, métodos de seleção de aves de corte começaram a ser divulgados. Os maiores eram os escolhidos, criando matrizes para as gerações futuras.

Aproveitando-se do pouco conhecimento do público consumidor sobre manipulação genética e transgênicos, cientistas da área passaram a afirmar categoricamente não existir hormônios nos frangos, que é proibido, que é inviável, que é caro, que não há possibilidades de colocar nas rações, fornecer por outros meios, que não tem, e ponto final.

No inicio de 2008, o FDA (Food and Drug Administration) decidiu aprovar o comércio de animais clonados para alimentação humana. Os clones eram de matrizes geneticamente modificadas (OGM).

Meses após, em Chicken genome plucked bare by inbreeding (2008) , a revista New Scientist apresentou os resultados da primeira avaliação genética em aves, realizada por cientistas da Universidade Purdue, Indiana.

health24_comOs pesquisadores utilizaram genomas que foram sequenciados naquele mesmo ano, para medirem a diversidade genética, comparando-as com raças do século XIX e de galinhas selvagens.

Os estudos apontaram que, em média, galinhas modernas super produtivas perderam mais da metade de seus genes originais. Algumas linhagens de frango de corte perderam até 90%.

E esses são os animais selecionados pelos produtores, espalhados pelo mundo através de acordos comerciais,  que “não recebem” hormônios de crescimento, e crescem milagrosamente apenas consumindo antibióticos.

E o hormônio está aonde?

Leia aqui: Frangos, clonagem e manipulação genética 

Fontes bibliográficas

“A Ética da Engenharia Genética e Patentes Animais”, Karen Davis, PhD, The Alliance for Animals, 1996, Universidade de Wisconsin-Madison.

Are we eating cloned meat?, Frank DeFazio, Scientific American, 2008.

Frangos clonados no menu, Andrea Graves, New Scientist, 2001.

Patente. Publicação 1992.
Codes for chicken and turkeys for growth agents
“A presente invenção refere-se genericamente à manipulação de materiais genéticos e, mais particularmente, à utilização de procedimentos recombinantes, para assegurar a produção de polipeptídeos que possuem uma ou mais propriedades bioquímicas e imunológicas de hormonios de crescimento de espécies aviárias”.

Foto 1: thetruthaboutag.com
Foto 2: illiliberation.wordpress.com
Foto 3: healthy24.com

 

Read Full Post »

Atualmente, distinguir os Organismos Geneticamente Modificados (OGM) do que é natural, orgânico, realmente funcional, não é tão complicado, mesmo que os rótulos não ajudem muito.

Com o constante crescimento na comercialização de soja, adivinhem o que fazem para otimizar os lucros?

Já comentamos anteriormente sobre Soja e aumento precoce das mamas, em meninas. E as suspeitas sobre o quanto a soja pode desencadear alergias, tanto quanto o leite de vaca.

E a dúvida para as mães de meninos só fez crescer.

Soja pode provocar puberdade precoce apenas em meninas? Como a soja vai atuar nos meninos?

Leia aqui: Ciência e Nutrição – outras palavras

Read Full Post »