Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘não quer comer’

Será que não come mesmo?

Se a maior parte das mães que reclamam que seus filhos não comem, passassem por um juiz, seus processos seriam considerados “improcedentes”.

Existem algumas questões que devem ser pensadas quando o coração é assaltado por essa certeza.

Toda mãe quer filhos obedientes, limpinhos e que raspem o prato em todas as refeições.

Quase uma utopia!

Por serem humanos, os filhos passam por fases de desenvolvimento físico, mental, emocional, espiritual, e cada uma dessas pode modificar seu comportamento em dada ocasião.

A maioria reclama que seus filhos não comem nada… epa, nada, não, mas “apenas besteiras”.

Apenas biscoitos, apenas a mamadeira, apenas o chocolate, apenas o salgadinho, apenas a batata frita, apenas o que mais gostam… em meio a isso, comem algum arroz com feijão.

childrenandbabiesnoteatingAntes de tudo, observe se a criança que não está “comendo nada”  anda prostrada, sem ânimo, pálida, cansada, respirando ofegante, sem evacuar, aparentando alguma debilidade física ou emocional (stress também dá em criança),  com “virose”, gripadinho…

Caso sim, investigue com o pediatra se não está com anemia, vermes ou mesmo uma infecção urinária oculta. Bem, o médico saberá o que fazer, para um diagnóstico clínico.

Se for ainda bebê, mais uma vez, observe o nascimento de dentes, que incomodam um bocado.

Quando é esse o motivo, querem apenas mamar, seja leite materno, seja mamadeira.

Crianças que consomem muito açúcar fora de hora (não apenas açúcar colocado em receitas, mas açúcar embutido em biscoitos, farinhas, achocolatados, leite artificial, sucos artificiais, etc.), rejeitam mesmo alimentos salgados.

Vou transcrever um trecho do livro Mi niño no me come, traduzido pela Ana Alice, uma das moderadoras do nosso grupo o facebook.

UMA EXPERIENCIA QUE  MUDARÁ SUA VIDA

Muitas mães pensam que seu filho não come por que não toma as papas, “legalmente estabelecidas”, sem se dar conta de que está comendo outras coisas equivalentes ou melhores.

Dizíamos que um menino de 02 anos e 10 kgs precisa de 812 kcal por dia (isso na média, alguns necessitam muito mais e outros, muito menos).

Pois bem, se cada dia toma meio litro de leite, (350 kcal), um bollicao (260 kcal) (tipo de doce cheio de creme e açúcar), um iogurte de morango (110 kcal) e um suco de abacaxi de 200 ml (85 kcal) já têm 805 kcal.

Pouco mais pode caber.

E se lhe der um donut de chocolate (230 kcal). Não pode dar nem um petisco?

Mas onde você quer colocar a fruta, a verdura, os legumes, a carne? Com certeza, uma dieta semelhante seria totalmente inadequada para uma criança… Mas teria calorias de sobra, e a criança não poderia comer mais nada…

“Sua filha não come. Passa meses assim, talvez anos. Você experimentou tudo, mas a situação não melhora.

Você espera com terror a hora da comida, e na maior parte dos dias acabam as duas chorando.

Sua filha não vai mudar.

Não até que seu próprio corpo peça mais comida. Talvez com 5 anos ou na adolescência.

Sua filha de 3 anos não pode vir amanhã, ou sábado, e dizer: Mamãe eu estava pensando, e decidi que a partir de agora eu comerei tudo o que me coloca no prato sem chiar.  Deste modo você entenderá que te amo muito e espero que nossa relação melhore depois desse meu gesto de boa vontade.

Sua filha não é capaz de pensar em algo assim; e se pensasse seria incapaz de cumprir a promessa (pois, como já explicamos seria incapaz fisicamente de comer mais do que necessita sem adoecer).

newkidscenterPortanto, a única esperança de mudança vem de você.

Você sim que pode dizer a sua filha: Minha filha, tenho estado pensando, e decidi que a partir de agora não tentarei mais te obrigar a comer quando não tem fome, e nem comida que te dão ânsias.

Que fique bem claro que não estamos propondo um novo método para que seu filho coma mais.

Comerá o mesmo que antes, talvez mais ou menos.

Trata-se que coma contente e feliz em um tempo razoável, e não em duas horas de choro, brigas e vômitos.

Que fique claro também que não estamos falando de vencer sua filha por fome.

A ideia não é: “é uma filha mal criada, assim que agora levo o prato e você aprenderá o que é passar fome”. Quando quiser comer “me pedirá, por favor”.

Isso além de injusto, seria perigoso, é iniciar com sua filha uma carreira de “ver quem é mais teimosa”.

(….) Você pensa, honestamente que sua filha não comeria se não obrigá-la? Pensa que pegaria uma anemia, ou ainda que morreria de fome?

Para adoecer gravemente, sua filha tem primeiro que perder peso. Muito peso.

Recorda como perdeu peso quando nasceu? Muitas crianças perdem um quarto de quilo em dois dias e voltam a recuperar antes de uma semana, sem nenhum problema.

Se sua filha não come perderá peso. Tem que perder muito peso para que realmente exista perigo. Essas criancinhas da África que vemos em fotos perderam (ou nunca tiveram) 5 ou 7 kgs.

Portanto existe um meio muito simples com que você pode controlar o estado de saúde de sua filha e assegurar que não corre nenhum risco: UMA SIMPLES BALANÇA.

Leia mais em:

Recusa alimentar, vômitos, refluxo… alguns transtornos da infância

Meu bebê não quer comer!

meu bebê não quer comer – parte 2

Meu filho não come – parte 3

A falta de apetite das crianças – parte 4

Algumas dicas para estimular o apetite

Receitas para…

Read Full Post »

O INICIO DAS PAPINHAS DO BEBÊ

Como ordenhar e armazenar o leite materno

Baixe aqui: GUIA ALIMENTAR PARA CRIANÇAS MENORES DE 02 ANOS – OMS/OPAS

Danoninho para bebês?

Mucilon para refluxo e bebês baixo peso? Não pode, não!

Só pra variar: opções ao mucilon

Chega de mamadeira! No copinho é bem melhor!

Papinha do bebê – Alimentos de desmame

Papinha do bebê – Receitas de Farinhas caseiras (também para bebês alérgicos ao leite de vaca)

Meu bebê não quer comer – 0 a 06 meses

Meu bebê não quer comer – 06 a 12 meses

Soja e Telarca precoce – aumento das mamas

Soja para bebês e crianças?? Há controvérsias!!

 

Read Full Post »

06 – 12 meses

Após os seis meses, quando já estão em alimentação complementar, alguns bebês apresentam certas dificuldades nas horas das refeições.

Bebês amamentados com LM

Para eles, o seio da mamãe está bom demais, para que algo mais?  Talvez, pensem mesmo que não precisam. A amamentação dá conta do recado, porém, com o desenvolvimento e crescimento, é importante que outros nutrientes participem dessa fase. E muitos deles conseguimos apenas através de outros alimentos.

A natureza é tão perfeita que fornece tudo pelo LM até determinada fase, não precisam sequer de água, mas chega uma hora que não tem jeito.

Não, o leite não ficou fraco, seu bebê é que ESTÁ CRESCENDO!!

Se o bebê está recusando sistematicamente, tome fôlego e recomece quantas vezes for preciso.

Faça purês simples, introduzindo os alimentos gradativamente, também para não confudir suas idéias. Muita informação pode atrapalhar ainda mais o processo.

E saiba que é comprovado que a oferta constante por inúmeras vezes, colocando o alimento próximo, deixando que sinta o aroma, provando o sabor, a mamãe comendo um pouquinho para o bebê ver (e imitar), pode surtir bons efeitos.

Bebês amamentados com fórmulas artificiais

Em alguns casos, a alimentação complementar se faz necessárias até antes dos 6 meses, e então a recusa é firme e, aparentemente, sem chances de transformações.

Verifique os horários entre as mamadas.

Bebês pequenos acostumados com apenas leite manifestam mesmo dificuldades para consumir outros alimentos.

Muita paciência nessa hora!

Remova as causas, e busque novas maneiras de oferecer as papinhas.

Então, para ambos os casos, verifique:

Se a colher não incomoda a gengiva. Colher de metal é ruim, fria, desagradável… Procure colher de silicone. Plástico duro também é incômoda.

Observe se não há dentes nascendo.

A gengiva fica vermelha, algumas vezes dói um bocado. Época do nascimento dos dentes, precisa de atenção. Não se importe com pediatras que dizem que o nascimento dos dentes não afetam, não dão febre, isso e aquilo. Pode acontecer de tudo, ou nada. Cada organismo reage do seu jeito.

Não utilize açúcar, e cuide até mesmo das frutas muito doces. Limpe a gengiva com gaze ou dedal, após as refeições.

E arrume um mordedor com urgência!! Do contrário, o bebê vai querer mamar e mamar, porque é mais reconfortante, e ainda pode dar uma coçadinha na gengiva, seja no bico do seio, seja no bico da mamadeira.

O bebê pode estar gripadinho, resfriado ou apresentando alguma reação a determinados alimentos, como o leite de vaca.

Adoentado, o bebê não vai aceitar muita comida. Não desista, mas procure dar alimentos que fortalecem, e corte os alergênicos. Pode ser que sinta dor na garganta, tenha aftas, algo que machuque entre a boca e a garganta (ou nariz entupido).

Anemia

Após o sétimo mês de vida,  até completarem 1 ano, os bebês necessitam de mais Ferro que em toda sua vida. Atenção nesse detalhe, pois todo mundo fica preocupado com leite, leite, e esquecem-se de prestar atenção no principal.

Peça ao pediatra se não há a possibilidade de haver anemia, que diminui o peso e a vontade de comer.

Caso o bebê esteja tomando algum suplemento de Ferro, mesmo assim, é bom verificar se a absorção do mineral está ocorrendo. Alguns fatores podem interferir e prejudicar essa absorção como o consumo conjunto de alimentos ricos em ferro e alimentos ricos em cálcio como o leite de vaca ou fórmulas infantis á base do mesmo.

Costuma-se dizer nos meios pediatricos que vermes são raros nessa idade.

Em termos, visto que falamos de bebês que colocam tudo na boca, se esparramam pelo chão, e podem ter contato com pessoas portadoras de vermes como a giardia (que fica no ambiente por vários dias, e é passível de infectar a família toda. Ainda mais se há animais em casa).

Prisão de ventre

Fórmulas em pó costumam provocar ressecamento das fezes e dificultam a motilidade intestinal.Tubérculos e raízes costumam endurecer as fezes.

Logo no início, o bebê pode apresentar dificuldades para digerir os novos alimentos, e assim prender as fezes.

Converse com o pediatra sobre dar Água entre as refeições, e acrescente fio de azeite de oliva nas papinhas.

Se amamenta ao peito, verifique o que come todos os dias, evite frituras, doces, chocolates, cafeína, leite de vaca e derivados.

Muitos bebês apresentam intolerância ou alergia ao LV já nessa fase. Não se iluda com exames que dão (falso) negativo para alergia. Isso pode prejudicar toda a alimentação do bebê, assim como alergia a outros alimentos.

Comece a alimentação complementar sempre gradativamente, com os alimentos apresentados um a um, para que não ocorram possíveis reações que prejudiquem a aceitação das papinhas.

Outros motivos:

Leia sobre SALTOS DE DESENVOLVIMENTO no Blog da gestante

Salto de desenvolvimento (SD) é o nome que se dá para a aquisição de uma nova habilidade: descobrir os pezinhos/mãozinhas, rolar, sentar, ficar em pé, andar, falar, etc. Se diz “saltos” pois é bem assim que acontece: num dia não faz, no outro já está fazendo. Não é bem gradual, é em saltos mesmo.

ANGÚSTIA DA SEPARAÇÃO

A angustia do oitavo mês ou angústia da separação atinge principalmente o sono do bebê, mas pode afetar também sua vontade de comer. Para ter a mamãe por perto, dando atenção, o bebê pode apresentar comportamento difícil na hora das refeições.

Oferta exagerada de outros alimentos e  líquidos (leites)

Muitas mães querem ver o bebê batendo um pratão, porém, não dão tempo para que o bebê manifeste seus desejos.

Mal passaram-se 2 horas, o que dizer 3, e lá estão com mamadeira, frutinha, tetê, biscoito, etc.  Se não oferecem, deixam á mão. Hora do almoço, não é possível que queira mais.

Não gosta de frutas, verduras, legumes…

Os bebês aprendem a comer o que damos, em um misto de aprendizado com instinto.

Bebês que não gostam de alimentos saudáveis aprendem com os pais e cuidadores a não gostar. Simples assim. Ou pela forma como as receitas são feitas, ou porque alguém na família não gosta e faz questão de demonstrar essa rejeição ao bebê.

Sem falar que se tiverem sempre ao alcance das mãos biscoitos e outros alimentos industrializados repletos de açúcar, a alimentação correta vai para longe.

Mães que defendem a oferta de alimentos industrializados antes de 1 ano, comprovadamente ricos em aditivos e açúcar, sempre correm maior risco de verem seus filhos rejeitando alimentos saudáveis, e ainda com dificuldades de ganhar peso, ou perder. O número de crianças de 1 ano com colesterol alto tem crescido a cada dia!!

Ele não quis a comida, dei mamadeira!

Não faça isso, mamãe! Espere mais um pouco, pode ser que o intervalo entre a última refeição e essa está pequeno.

Não troque comida sólida por alimentos diluídos durante essa fase. Acreditando que é para o “bem do meu filho”, acaba por começar com outro problema.

Toda vez que recusar a comida, em vez de ser educado a comer direito, e ganhar uma mamadeira de leite com açúcar, ou com esses “complementos” de chocolate, morango e muito açúcar, vai perpeturar o comportamento de rejeição. E ainda pode correr o risco de ganhar uma anemia (no caso do leite puro).

Suplementos industrializados não substituem uma refeição completa, e podem prejudicar a saúde do bebê.

‘Tá, ele não engordou muito “só porque toma essas coisas”, mas o futuro está aí, no corpo de muitos adolescentes que outrora foram bebês magrinhos que não comiam legumes e frutas, e ganhavam estimulantes de apetite e suplementos ou complementos ricos em açúcar.

Após os 10 anos engordaram, engordaram, engordaram, e não  conseguem mais controlar o próprio corpo.

Horários  e cardápio

Atenção com intervalos.

Veja também:

Recusa Alimentar, vômitos, refluxo – Alguns transtornos da infância

Para maiores(clique abaixo):

Meu filho não come

Read Full Post »