Feeds:
Posts
Comentários

Archive for the ‘Sem Glúten’ Category

Que tal aproveitar o dia das crianças para unir o útil ao agradável?

Façam massinha de modelar comestível, e divirtam-se!

1. Massinha de amendoim
Ingredientes
1 xícara de manteiga de amendoim
3 colheres sopa de melado de cana
Farinha de trigo
Cacau

Misture a manteiga de amendoim e o melado.
Adicione a farinha aos poucos.
Trabalhe a massa, adicionando o cacau ou outro “corante natural”.
Coloque na geladeira.

handmadeartists_claymodellingedible2. Massinha de amêndoas
Ingredientes
200 g de amêndoas moídas
1/4 xícara açúcar mascavo
1 colher de sopa de suco de limão
2 colheres de sopa de melado
1 colher de sopa de água fria
Corantes naturais

Misture as amêndoas e o açúcar mascavo.
Misture o melado, o limão e a água em outro recipiente.
Junte tudo, misturando bem.
Cubra e deixe na geladeira por cerca de 1 hora.

3. Massinha de trigo
Ingredientes
2 xícaras de farinha de trigo
2 colheres de sopa de óleo vegetal
1 colher chá de sal
2 xícaras de água ou suco

Misture os ingredientes.
Leve ao fogo, mexendo sempre, até formar uma papa seca.
Retire do fogo e coloque sobre a pia ou balcão limpo.
Quando esfriar bem, trabalhe a massa até ficar maleável.

bellalunatoys massinhacomestivel

4.Massinha sem glúten
Ingredientes

1/2 xícara farinha de arroz
1/2 xícara amido de milho
2 colher chá de sal
1 colher de chá de óleo vegetal
1 xícara de água
(creme tártaro o
Corantes naturais
Misture os ingredientes.
Cozinhe e mexa em fogo baixo por cerca de 3 minutos (vai formar uma bola).
Deixe esfriar muito bem.
Armazene em saco plástico bem fechado.

duitang25. Massinha de aveia e trigo
Ingredientes
1/2 xícara de farinha de trigo
2 colheres sopa de aveia
2 colheres de sopa de amêndoas trituradas
1 colher de nozes ou castanhas trituradas
Água q.b.

Misture todos os ingredientes aos poucos.
Amasse com as mãos lipas.
Coloque para descansar por cerca de uma hora.
Trabalhe a massa como desejar

Sugestões de cores
Amarelo – Abacaxi, chá de camomila
Laranja: Tangerina, abóbora, laranja, cenoura
Verde – limão, abacate, chá verde, hortelã, erva cidreira,  chá de capim limão,  suco de couve, purê de aspargos, etc
Vermelho e roxo: frutas vermelhas, repolho roxo, etc.
Branco: inhame, mandioca
Marrom: cacau, alfarroba, etc.

Para dar umas ideias

A foto 1, das menininhas, no início do texto, é da Sachiko Windbiel, que fundou e administra a MimiCafe Union, em Nova Iorque.

Abaixo, fotos de trabalhos em argila (não comestíveis)
Foto 2: HandMadeArtist
Foto 3: Fórum FC2
Fotos 4: BellaLunaToys
Foto 5: Duitang

Veja AQUI como fazer esse lindo tigrinho utilizando massa de modelar comestível em vez de argila (como o da foto).

E a seguir, siga o TUTORIAL para fazer o caramujinho. Esse é com argila.

wikihow_argila

duitang_com_argila

Leia mais:  Já brincou com seu filho hoje?

Anúncios

Read Full Post »

SONY DSCSem glúten, sem ovos, sem lactose

Ingredientes
1 ½ xícara  farinha de arroz
1 ½ xícara polvilho doce
1 ½ colher de sopa fermento biológico
3 colheres sopa óleo de girassol
4 colheres sopa linhaça dourada hidratada
1 colher chá de sal
1 xícara chá água morna
1/2 xícara leite castanhas ou amêndoas doces*kuhinjica-mignone_blogspot_it3
3 colheres de sopa açúcar mascavo

Preaqueça o forno
Misture todos os ingredientes
Coloque em uma forma untada. Assar por cerca de 40 minutos.

Com glúten, sem ovos, sem lactose

handmadecharlotte3Ingredientes
750 ml água morna
1 kg farinha de trigo
3 colheres sopa de fermento biológico seco
4 colheres sopa de óleo de girassol
5 colheres sopa de açúcar mascavo
3 colheres chá de sal

Misture a água morna, o fermento, o sal, o óleo, o açúcar e 750 g da farinha de trigo.
Misture bem e deixe crescer até dobrar de tamanho.
Adicione o restante da farinha de trigo (250 g).
Sove a massa até ficar elástica.
Coloque em vasilhame untado, misturando bem com o óleo.
Cubra com pano úmido. Deixe dobrar de tamanho.

Divida a massa em 3 partes iguais. Coloque em formas para bolo inglês untadas.
Deixe que dobrem de tamanho novamente.

Asse em temperatura média (180º C), por 35 a 45 minutos.

Artes comestíveis

1. Pon Nosuke
2. Kuhinjica-mignone
3. Rachel Fawcet

Veja mais:

Receitas para Crianças
Como fazer pão doce vegan macio e saboroso
Receitas caseiras de pão de forma
Pão essênio

Read Full Post »

O glúten foi descoberto por volta do século VII, por monges budistas, quando amassavam farinha de trigo misturando-a com água, para formar uma massa comestível chamada Seitan.

É o tipo de coisa que todo mundo ouve falar, mas não sabe exatamente o que é. Hoje em dia, o vilão favorito de quem deseja perder peso.

A dieta sem glúten, para fins de emagrecimento, possui o viés típico das dietas da moda. O mal do glúten está em seu consumo excessivo, assim como o mal de toda alimentação pobre e sem variedade. O que provoca a perda de peso, nessa dieta, é que junto com o agora mal afamado glúten estão carboidratos refinados ou integrais, que promovem o aumento na balança.

Se diminuirmos o consumo de produtos que contêm glúten entre seus ingredientes, em composição com açúcar refinado, xarope de milho, amido, gorduras trans e saturadas, obviamente haverá redução de calorias e peso.

Logo, o glúten é maléfico apenas em condições específicas como Doença Celíaca, ocorrência de Dermatite Herpetiforme ou para pessoas com autismo, epilepsia ou determinadas neuropatias.

Provavelmente, o maior benefício do glúten para a alimentação humana está em seu uso á nível mundial na produção de pães, bolos, biscoitos, farinhas, massas e determinadas bebidas.

Suas proteínas são consideradas de baixo valor biológico. Entretanto, mesmo não sendo considerado substituto á altura das carnes, colabora com o fornecimento de proteínas para pessoas que seguem dietas vegetarianos ou veganas, e  pode ser essencial para quem tem menor poder aquisitivo, pelo baixo custo.

RECEITAS

FONTES

ACELBRA (Associação dos Celíacos do Brasil): Diagnóstico e dieta

Teores de poliaminas em alguns alimentos da dieta básica do povo brasileiro. 2006. Tese – Instituto de Ciências Rurais – Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho – UNESP

Proteínas com funcionalidade mecânica: um estudo físico-químico sobre a viscoelasticidade da gliadina, uma proteína de reserva do glúten do trigo. 2004. Tese – Instituto de Química – Universidade de São Paulo – USP

Doença celíaca: a afecção com múltiplas faces. Jornal de Pediatria (Rio de Janeiro) 2005;81:357-8

Read Full Post »

Todos os dias, produzimos entre 0,5 l  a 1,5l de gases.

Uma parte vem do ar que engolimos diariamente (ao comer, beber, falar ou respirar). A outra,  vem de uma combinação mais complexa.

Nos nossos intestinos habitam tantas bactérias quanto cabem,  se alimentando dos nutrientes que ingerimos.

Esses micro-organismos pagam hospedagem produzindo nutrientes benéficos para absorção de alimentos no nosso corpo, e defendem o terreno onde vivem, evitando que bactérias nocivas se instalem.

O intestino delgado não é capaz de absorver determinados carboidratos,  devido a ausência da enzima α-galactosidase.

Esses açúcares vão para o intestino grosso, onde estão alguns trilhões dessas bactérias.

Ali, liberam enxofre,  que se junta com hidrogênio, nitrogênio, oxigênio, mais dióxido de carbono e metano dos nossos gases “naturais”,  deixando aquele odor característico da Flatulência.

Eliminamos parte dos nossos gases silenciosamente, em cerca de 15 flatos (em latim, sopros) diários,  durante o sono ou quando evacuamos.

Mas quando passam da conta, e chegam poluindo o ambiente, pode ser resultado de má absorção de carboidratos, ou aumento da atividade bacteriana local.

Carboidratos líderes na fomação de gases:

Rafinose

Feijões, lentilhas, ervilhas, brócolis, repolho…

Lactose

Açúcar do leite de vaca (e derivados).

Frutose

Cebola, pêra

Sorbitol

Frutas como maçã, pêra, pêssego e ameixas secas

Amidos

Batatas, trigo, macarrão, batata-doce

(O arroz é o único amido que não produz gases)

Fibras solúveis

Maioria das frutas muito doces, aveia, feijões, ervilhas

Mais:

Açúcar refinado (considere também o açúcar dos alimentos e sucos industrializados para crianças) , doces em geral, couve-flor, ovos, milho, cevada, queijos, sorvetes (pela gordura trans, oucreme de leite + leite), alimentos com lactose como pães, cereais e molhos para salada, sucos industrializados, alimentos com sorbitol como os dietéticos, balas e gomas sem açúcar.

A alimentação do bebê e os gases

Quando dar feijão para o bebê?

Se o seu bebê tem prisão de ventre, cólicas ou gases, evite as leguminosas como os feijões, que são ricas nos açúcares campeões de flatulência: a rafinose e a estaquiose. Para diminuir seus efeitos, siga a tradição: horas de molho e cozimento demorado.

Veja aqui uma explicação mais detalhada: Por que o feijão causa flatulência / Eduardo Canto (Ciências naturais -aprendendo com o cotidiano – Editora Moderna)

A fama da batata- doce

A digestão da batata-doce é mais demorada, favorecendo a fermentação no intestino grosso, devido ao amido de sua composição. Siga o procedimento abaixo, para diminuir seus efeitos desagradáveis. E oferte aos menores de 1 ano com moderação.

Batatas

Após cortar, deixe por alguns minutos de molho em água. Depois, despreze. Assim, retira parte do amido que pode prejudicar a digestão.

Cuidado com a carne vermelha…

De início, oferte apenas o caldo. A carne vermelha é de difícil digestão, lenta mesmo. Não tem fibras, e se for gorda é banquete para bactérias. Acabam por aumentar a flatulência.

… E  com as gorduras

especialmente das frituras,embutidos e carnes gordas.

Outros motivos:

Obesidade e comilança compulsiva, falar durante as refeições, não mastigar os alimentos, tomar líquidos quentes (café, chás, sopas), uso de canudinho para bebidas, respirar pela boca, intolerância á lactose ou ao gúten, bebidas gasosas…

Quando não recebem o tipo certo de alimentos, as bactérias ficam irritadas, e atacam as paredes dos intestinos, causando constipação e indigestão. (Professor Lars Munck/Universidade de Copenhagen)

Como controlar:

Cuide da flora intestinal após tratamentos com antibióticos, ou episódios de diarréia.

Utilize probióticos, de preferência os não industrializados.

Veja aqui: Alimentos fermentados: muito além dos  iogurtes!

Investigue doenças ocasionadas por deficiências enzimáticas como a intolerancia á lactose, ao gluten ou á sacarose.

Peça ao médico para investigar parasitose, também em adultos e idosos. Vermes como a giárdia tornam nosso organismo deficiente de algumas enzimas.

Evite refrigerantes e bebidas gasosas

Elimine os gases dos alimentos. Deixe de molho (grãos), hidrate (farelos e sementes), cozinhe por mais tempo ou GERMINE.

Para aliviar as dores:

Tente o costumeiro “deitar de bruços”.

Se não der certo, e as dores persistirem, massageie a barriga suavemente, em movimentos circulares, começando do lado esquerdo para o direito, terminando no esquerdo, abaixo do umbigo.

Faça “passinhos”, com as pontas dos dedos. Vai sentir as bolhinhas se movimentando no seu abdômem. Encaminhe para a saída (do lado esquerdo, sentido descendente, apenas depois de seguiros passos acima.

Também nos jovens adultos e idosos,  uma massagem pode levar ao caminho do alívio, e da cura.

Para os bebês, a massagem milenar indiana, conhecida por aqui como Shantalla, resolve á beça.

O link para o vídeo com a própria fazendo massagens em seu bebê, está aqui, é só clicar:

Cólica e prisão de ventre… ninguém merece!

Se o seu bebê é um golfador, ou tem sempre um ronquinho em algum lugar do corpo, ajude-o com um exercício fácil de respiração.  Aquele mesmo,
“aspire…inspire…aspire…inspire…”

Apenas mais um toque: coloque as mãos espalmadas, com o dedos para baixo, sobre a barriga. Deixe assim, quieta, por alguns segundos, retire, coloque novamente.

Ajuda mesmo na hora em que o “mardito” fica naquele sai e não sai, e os gases começam a uivar dentro de você. Ensinei meu filho a fazer esse toque. Logo ouço um “‘tá saindo, manhê! ” (hahaha).

Para crianças com necessidades especiais, os cuidados são mais intensos. Caso use fraldas, abra e empurre as pernas levemente de encontro ao abdome, algumas vezes.

Faça massagens diárias, para incentivar a movimentação dos órgãos.

Passe pomada de calêndula ou óleo de amêndoas na saída, com delicadeza, e a ajuda de um cotonete.

Estimule a evacuação emitindo onomatopéias como “rrrãaaammm” e as outras todas que usa na hora H. Lembre-se de respirar com uma mulher no parto. Aqui, costuma funcionar.

Cuide da alimentação!

Bactérias alteradas podem machucar as paredes dos intestinos, provocar gases, dores e constipação.

Já falamos disso:

Orientações Médicas para constipação

Fontes

COMPOSTOS NUTRICIONAIS E FATORES ANTINUTRICIONAIS DO FEIJÃO COMUM – Revista – Arquivos Ciências da Saúde / Universidade Paranaense (UNIPAR)

BIODISPONIBILIDADE DE MINERAIS DAS FONTES LEGUMINOSAS – Revista Simbio-logias (Revista Eletrônica de Educação, Filosofia e Nutrição) / Unesp/campus Botucatu

FLATULÊNCIA E ERUCTAÇÃO / GASES – ABC da Saúde – Informações Médicas

BACTÉRIAS INTESTINAIS E SISTEMA IMUNOLÓGICO – O Mundo das leveduras /Laboratório de Microbiologia da UNESP – Campus Rio Claro

Ilustração e texto prof. emérito Lars Munck / Universidade de Copenhagen

Tem gente que não entende…

Demissão por flatulência

Read Full Post »

k6616845Antes da chegada do “homem branco”, o povo Inca cultivava e louvava a Quinoa como a “Mãe dos seres humanos”.

Fazia mais que alimentar o corpo, dando a seus consumidores poderes de vitalidade e plenitude.

Entretanto, eis que, em 1532, chegaram os espanhóis por aquelas bandas.

Em sua ânsia dominadora, dizimaram toda uma cultura, roubaram seus bens, levaram seus pertences e tiraram suas vidas.

Ainda proibiram o cultivo e uso da Quinoa pela população, assim como fizeram com o Amaranto, quando estiveram entre o povo Azteca.

Utilizado em rituais religiosos, o Amaranto também entrou para a lista dos excomungados.

E por conta da perseguição, seu plantio passou a ser realizado em locais de difícil acesso, na Cordilheira dos Andes, entre o Peru e a Bolivia, da mesma forma que a produção de Quinoa.

Timidamente, a Mãe de todos os grãos voltou à cena na década de 1970, trazida por projetos de nutrição destinados ás populações andinas.

Quem não gostou nada foram os padeiros locais, já que Quinoa não contém Glúten, importante na fabricação dos pães.

Atualmente, encontramos Quinoa com certa facilidade, em lojas de produtos naturais, em grãos vermelhos, roxos, verdes, rosas, lavanda, laranja, vermelho vinho, negros, amarelos ou mostarda.

É rica em todos os aminoácidos essenciais, e por seus teores de Cálcio e Ferro, uma excelente opção para substituir soja, leite de vaca, carnes, etc.

Receitas com Quinua/Quinoa

Receitas com Quinua / Álbum de fotos grupo Alimentação e Saúde Infantil

Read Full Post »

Estudos realizados desde o final da década de 1990, comprovam que o glúten (encontrado no trigo, cevada e aveia), e a caseína (uma das proteínas do leite de vaca), podem afetar as funções do cérebro normal.

Um distúrbio digestivo prejudica o metabolismo dessas substâncias, que apresentam estrutura e função similares aos opiáceos como a morfina.

Provocam alterações no sistema imunitário, intestino delgado e principalmente no cérebro.

Apesar de ser motivo de estudos e pequisas há várias décadas,  apenas mais recentemente os profissionais de saúde, no exterior, debatem e prescrevem a dieta isenta de Glúten e Caseína.

No Brasil, o assunto ainda caminha em passos lentos, mas firmes, com familiares que desenvolvem e divulgam sobre o assunto.

Fonte:
http://www.gfcfdiet.com/

Cartilha Criança autista indo para a escola (download):

http://www.riosemgluten.com/Crianca_autista_em_dieta_sgsc_indo_para_escola.pdf

Read Full Post »