Feeds:
Posts
Comentários

Archive for the ‘papinhas receitas’ Category

pure

Papinha de abóbora cozida no feijão

2 xícaras de feijão
1 chuchu
1 dente de alho
1/2 xícara de macarrão para sopinha (argolinha, letrinhas…)
1 xícara de água

Escolha o feijão (feijão preto, branco ou azuki). Deixe de molho.
Coloque para cozinhar. Quando estiver na metade do cozimento, acrescente na panela a abóbora, cortada em cubos médios.
Acrescente também o chuchu cortado da mesma forma.

Quando estiver pronto o feijão, retire os legumes cozidos e reserve.

Refogue o alho, sem dourar muito e queimar, e coloque um pouco do feijão cozido, mais o caldo, e 1 xícara de água. Deixe ferver, cozinhando o macarrão, por cerca de 4 a 5 minutos.

Quando estiver macio, acrescente os legumes que estavam reservados.

Amasse tudo com o garfo.
Se o bebê ainda não consegue comer macarrão, faça um creme de macarrão e coloque por cima dos alimentos amassados.

Atenção: Ao incluir beterraba nas receitas, cozinhe separadamente, descarte a água, e depois junte com os outros ingredientes. Beterraba possui nitratos e oxalatos que inibem absorção do ferro não-heme (dos vegetais)

k15021707Papinha de berinjela com painço

1 berinjela cortada em cubinhos pequenos com a casca (lave bem com escovinha e esterilize, se precisar)
1/2 dente de alho
5 colheres de sopa de painço, lavados e escorridos
1/2 copo de águaRefogue o alho até dourar.
Coloque as beringelas. Mexa bem e junte o painço.
Tampe e deixe cozinhar até ficar tudo macio. A beringela vai derreter.
Salpique um um mínimo de orégano no final.
Amasse.
 
Purê de inhame
1/2 kg de inhame (lavado com escovinha)
1 copo de leite de aveia ou amêndoas, castanhas, coco…
(procure pelos oleaginosos, que substituem a gordura dos óleos)Cozinhe os inhames com a casca até que fiquem macios.
Descasque e amasse no espremedor de batatas.
Acrescente o leite de aveia aos poucos, mexendo bem.
Amasse até o ponto adequado.
Purê de inhame com couve
1 xícara de purê de inhame
folhas de couve manteiga
1 colher de café de missôFaça o purê de inhame. Deixe esfriar.
Bata uma parte no liquidificador, com a couve, até formar um creme.
Depois, misture o missô para temperar.
Cbarley2evadinha com Quiabo ou Vagem
1 xícara de cevadinha
1 pitada de sal
1/2 xícara quiabo ou Vagem picada
ÁguaCozinhe a cevadinha. Após 10 minutos acrescente o quiabo ou a vagem.
Coloque uma pitada de sal.Tempere com ervas frescas (após desligar o fogo): nirá, salsinha, coentro ou cebolinha, sempre em pequeníssimas quantidades (cerca de 1 colher de café para menos).
Mais receitas, com cevadinha, arroz, quinoa, etc., entre na página:

Receitas Primeiras Papinhas do bebê

Anúncios

Read Full Post »

baby eating alone3ALIMENTAÇÃO INFANTIL ATÉ 2 ANOS

Fonte: OPAS/OMS

” Quanto ao desenvolvimento fisiológico, o recém-nascido não possui maturidade de seus sistemas excretor, digestivo e neuromuscular, sendo assim os alimentos oferecidos aos bebês não devem exceder a capacidade funcional destes sistemas.

Práticas de alimentação infantil adequadas

Os alimentos complementares devem ser ricos em energia e nutrientes (particularmente ferro, cálcio, zinco, vitaminas A e C e ácido fólico) e livres de contaminação (microbiológica ou química).

Devem ser apresentados em quantidade e consistência próprias para a idade da criança e sem excessos de sal e condimentos (WHO, 1998).

A freqüência com que as refeições devem ser oferecidas à criança depende da densidade energética dos alimentos e vice-versa.

Crianças amamentadas entre 6 e 8 meses de idade devem receber, além do leite materno, 2 ou 3 refeições diárias, e crianças maiores de 8 meses devem receber pelo mek1831856nos 3 refeições (WHO, 1998).

O uso de cereais, raízes e tubérculos preparados como papas, sopas ou mingaus diluídos resultam em preparações com baixo conteúdo e densidade energética.

Além disso, estes alimentos contêm ácido fítico, polifenóis e/ou fibra dietética, componentes que inibem a absorção de determinados micronutrientes (Gibson e Hotz, 2000).

Segundo a OMS (WHO, 1998), o período de alimentação complementar é aquele durante o qual outros alimentos ou líquidos são oferecidos à criança junto com o leite materno.

Qualquer alimento ou líquido que contenha nutrientes, oferecido à criança neste período, é chamado de alimento complementar.

1296009Quando um alimento complementar é especificamente preparado para atender as necessidades nutricionais e fisiológicas da criança, este alimento é definido como alimento de transição.

Quando os alimentos complementares oferecidos à criança são os mesmos consumidos pelos outros membros da família são chamados alimentos da família.

A introdução de alimentos de transição antes dos quatro meses de idade pode interferir no estabelecimento de hábitos alimentares que podem contribuir para superalimentação, pois antes desta idade, a criança não consegue expressar reações que indicam saciedade e recusa ao alimento – como fechar a boca e inclinar a cabeça para trás.

O processo de introdução de alimentos sólidos é lento, e quanto mais jovem é a criança mais demorada é a aceitação de alimentos diferentes do leite.

Fonte:
Disponível para download em: Guia alimentar para crianças menores de dois anos. Organização Mundial de Saúde (OMS)/ Organização Pan-amaericana de Saúde (OPAS)

Read Full Post »