Feeds:
Posts
Comentários

Archive for the ‘Lactobacilos’ Category

Nosso organismo possui bilhões de bactérias benéficas que, quando atacadas por alguma doença intestinal ou consumo de antibióticos, fazem uma falta danada.

Para conseguir o equilíbrio novamente, a ingestão de alimentos fermentados se faz necessária.

Entre os fermentados mais consumidos por nossa sociedade estão os Lactobacilos.

Lactobacilos são probióticos ou “organismos vivos que, quando administrados em quantidades adequadas, conferem benefícios à saúde do seu hospedeiro” (Organização Mundial de Saúde, 2001).

Ao se instalarem nos intestinos, promovem a proliferação de outros micro-organismos benéficos, auxiliam no aumento da imunidade, e produzem uma espécie de muco que protege as vilosidades intestinais, além de vitaminas do complexo B serem melhores absorvidas na presença dessas bactérias.

Os lactobacilos reduzem  a proliferação de bactérias nocivas através da competição por nutrientes. Literalmente, as matam de fome 😉

Receitas

spoonful-of-yogurtIogurte de Amêndoas doces 

Ingredientes

10 amêndoas doces sem casca hidratadas
1/2 fava de baunilha
1 cápsula de probiótico
Água que baste
Adoçante: tâmaras, damasco, uvas passas, melado ou estévia

Bata todos os ingredientes no liquidificador, exceto o probiótico.
Mistur a cápsula de probiótico.
Cubra a mistura com um pano limpo e guarde em local quente até fermentar.

Iogurte de castanhas de caju

Ingredientes

1 ½ xícara de castanha de caju hidratada por 1 hora
1  xícara de água
2 colheres de sopa do adoçante
Baunilha em fava
1 pitada de sal
2 cápsulas de probióticos

Escorra e lave as castanhas de caju embebidos e adicioná-los a um liquidificador.
Misture os ingredientes e bata por 5 minutos.
Coloque em uma tigela e cubra com pano limpo.
Coloque em local quente até fermentar

Iogurte de coco

3 cocos verdes
1 capsula de probiótico

Bata o coco com sua água.
Misture com a cápsula de probiótico
Cubra e deixe fermentar.

Veja aqui

Kefir para o bebê ou criança

e aqui:

Iogurte de kefir de coco (receitas)

Veja também:

Alimentos fermentados – muito além dos iogurtes!

Fonte:

Aspectos tecnológicos de alimentos funcionais contendo probióticos
Revista Brasileira de Ciências Farmacêuticas; vol. 38, n. 1, jan./mar., 2002

Mais

Para diarreia: Probióticos

Fonte da foto: WebVitamns

Read Full Post »

KEFIR é uma bebida produzida através da fermentação de grãos de micro-organismos vivos, assim como os iogurtes.

Diz a lenda que a tribo turca Karachay, habitante das montanhas entre a Europa Oriental e Ásia Oriental, foi agraciada pelo Criador com os grãos que deram origem a essa bebida quase mítica.

Com a dádiva, foram entregues algumas normas, como a doação dos grãos apenas ás pessoas honestas e de bom coração. Entre as tribos caucasianas do norte, vender Kefir era um pecado mortal.

Com isso, os segredos da origem dos grãos do Kefir se perderam no tempo, e sua disseminação pelo mundo iniciou-se apenas após 1867, data em que se registram suas primeiras aparições, distantes das tribos turcas.

Hoje, o Kefir é popular em vários países, onde é vendido em supermercados. No Brasil, contamos com a doação de grãos para a produção caseira da bebida.

PRODUÇÃO CASEIRA

Os grãos do Kefir multiplicam-se conforme são cultivados, e aumentam rapidamente.

Diferentemente do iogurte, fermentado apenas por lactobacilos, pode ser fermentado por cerca de 37 micro-organismos diferentes, incluindo as leveduras utilizadas na preparação de pães e cerveja.

Após o preparo da bebida, separa-se os grãos para novo cultivo (formação de mais Kefir), para ser consumido ao natural, ou misturado com frutas, mel e cereais, e também pode ser utilizado no preparo de receitas como substituto do leite ou iogurte.

O Kefir entra em estado de “hibernação” quando exposto á temperaturas abaixo de 10.° Por isso, pode ficar em hibernação, guardado em geladeira, caso deseje dar um tempo no cultivo ou consumo.


Saúde!

Segundo cientistas asiáticos e europeus o Kefir contém triptofano, cálcio, magnésio, fósforo, vitaminas B1, vitamina K, biotina e ainda garantem que possui vitamina B12 (devido ás suas origens remotas).

Argumenta-se que o ácido láctico presente no Kefir e demais bebidas fermentadas melhora o metabolismo geral, e o ácido carbônico diminui a irritação da mucosa estomacal, aliviando sintomas de colite, gastrite, rins e pulmões.

A bebida auxilia na saúde mental, colabora com a redução do peso, tratamento de diabetes e algumas alergias. Fortalece o sistema imunitário, normaliza a pressão arterial, regula o colesterol, é útil para pessoas com depressão e insônia, bronquite e aterosclerose. Pra terminar, também é desintoxicante.

Porém, pode ser contraindicado para pessoas com problemas hepáticos, devido á formação de etanol durante sua fermentação.

Segundo estudos europeus, descobriu-se que 1 litro de Kefir pode conter até 38 g de etanol  por litro após 7 a 10 dias de fermentação.

Para intolerantes á lactose, vegetarianos ou vegans o cultivo em água ou outra cultura fermentativa que não o leite de vaca é o mais adequado.

Fontes

Teor de etanol no kefir de água – Biblioteca Nacional de Medicina dos EUA – NCBNI

História do Kefir – Wikipedia

A Mágica do iogurte da moda – Iliana Dimitrova

Veja mais: Kefir (Receita Iogurte de kefir de coco)

Alimentos fermentados – Muito além dos iogurtes

Kefir – alimento probiótico

Read Full Post »

As diarreias agudas são as principais causas de infecções em crianças nos países subdesenvolvidos.

No Brasil, são responsáveis por 25% das internações hospitalares, com elevada taxa de mortalidade (Ribeiro, 2000).

Após o nascimento e exposição ao meio ambiente, o tipo de alimentação é o fator que mais influencia a colonização e o equilíbrio entre as bactérias benéficas e patogênicas do organismo humano

No primeiro dia de vida, as primeiras bactérias que colonizam os intestinos do recém-nascido são enterobactérias aeróbias e anaeróbias facultativas, Bifidobacterium, Lactobacillus, E. coli e Enterobacterium. 

Á medida que essas bactérias se proliferam, tornam o ambiente intestinal adequado ao crescimento de bactérias anaeróbias (bifidobactérias, bacterióides e clostrídium), e dessa forma se estabelece a “microflora normal”.

Durante o desmame do bebê, quando são introduzidos alimentos sólidos, as bactérias anaeróbias passam a predominar.

No final do primeiro ano de vida, o número de bifidobacterium se assemelha em ambos os tipos de aleitamento (LM ou LA), e entre os 2 a 3 anos a microflora intestinal se assemelha a dos adultos, em número e composição (Vanderhood & Young, 2004).

Recém-nascidos que nascem de parto cesáreo geralmente têm a colonização intestinal retardada, ampla exposição á flora ambiental, e dessa forma adquirem mais bactérias anaeróbias e bacterióides, diferente dos nascidos por parto normal (Vanderhoof & Young, 2004).

Essas diferenças podem persistir pelo menos durante os seis primeiros meses de vida (Salminen SJ, 2002).

A microflora intestinal pode se alterar por vários fatores como o tipo de nascimento, doenças agudas ou crônicas, ingestão de medicamentos (antibióticos), mudança alimentar (leite artificial), estresse, interação com as bactérias intestinais ou com os produtos metabolizados por elas.

Padrões alterados da microflora também podem ser observados em crianças com alteração peristáltica, câncer, doenças hepáticas, anemia perniciosa, imunodeficiências ou submetidas á radioterapia (Mitsuoka, 1997).

Probióticos em Pediatria:

Nutrição clínica

Veja mais:

Alimentos fermentados: muito além dos iogurtes

Faça iogurte sem leite, sem soja, com probióticos

Read Full Post »