Feeds:
Posts
Comentários

Archive for the ‘Filtro solar e vitamina D’ Category

vancouversun.com

Conversávamos no grupo sobre o uso do filtro solar em crianças. Assim, encontrei alguns artigos atuais interessantes sobre o tema, com debates que tomam conta do meio cientifico.

Entretanto, primeiro, vamos falar mais da VITAMINA D, e sua crucial importância no metabolismo do CÁLCIO.

A vitamina D é, na verdade, um grupo de pró-hormônios lipossolúveis. Suas duas formas principais são a vitamina D2 (ergocalciferol – de origem vegetal) e vitamina D3 (colecalciferol).

A vitamina D que conhecemos, e que tem no sol sua principal fonte, é ativada após sofrer reações metabólicas, transformando-se no organismo humano em calcitriol.

A carência de vitamina D deixa os ossos frágeis.

Para que se fixe no organismo, transformando-se no hormônio chamado calcitriol ocorrem certos processos.

Assim como o fósforo, o calcitriol é essencial ao desenvolvimento dos sistemas nervoso, muscular e imunológico, pois regulariza o metabolismo.

Getty Images

O astro rei é a maior fonte dessa vitamina.

Seus raios, em contato com nossa pele, produzem o necessário em vitamina D para prevenir doenças nos ossos, dentes e nervos, afastando de vez o raquitismo e a osteoporose.

Sem dúvida, ficar ao SOL por 10 a 15 minutos diários é a forma mais potente de adquirir esta proteção, mas não é a única.

Quem, por algum motivo, não pode se expor o necessário, vai precisar de uma força extra, encontrada em alimentos como os cogumelos,  ou em suplementos vitamínicos.

Vitamina D e o uso dos filtros solares

Leia aqui: Fotoproteção tópica na infância e na adolescência (Jornal de Pediatria)

A UVB é necessária para a síntese da vitamina D. 

Pelo menos cerca de 90% da vitamina D ativa em cada pessoa é gerada dessa maneira.

missionforhealth.com.auNo entanto, os humanos conseguem vitamina D, além da exposição solar, de algumas fontes alimentares ou sumplementos.

Um grande debate se instalou no tocante a uma possível deficiência de vitamina D3 com o uso frequente de fotoprotetores tópicos.

Estudos demonstraram que o uso adequado de um filtro solar FPS 15 (2 mg/cm2reduz a síntese da vitamina D ativa em 98%.

E isso ocasiona em carências consideráveis.

A deficiência de vitamina D, entretanto,  não se agrava na presença de alguns fatores como inclusão de alimentos ricos nessa vitamina,

(I) aquisição da vitamina D necessária pela dieta;

(II) a maioria das pessoas aplica o filtro solar em quantidade insuficiente;

(III) mesmo quando o filtro solar é aplicado adequadamente, essa aplicação não é completamente homogênea, e alguma UVR ainda penetra na pele.

ÓTIMAS DICAS

lajollabythesea.com1 – Uma regra que pode auxiliar a identificar quando se deve evitar o sol é a “regra da sombra”.

O sol é mais danoso quanto menor é a sombra da criança em relação à sua altura, o que indica que o zênite solar é menor que 45º de incidência; de forma que o risco é menor quanto maior o tamanho da sombra.

2 – Os filtros solares, segundo recomendação da Academia Americana de Pediatria, são liberados para uso após os 6 meses de vida .

Até os 2 anos de idade, é preferível o uso dos filtros físicos, por serem menos alergênicos em relação aos filtros químicos.

Filtros físicos possuem como ativo óxido de zinco ou de ferro. Os filtros químicos agem criando uma reação química na pele. Os físicos, ao invés disso, formam uma barreira, capaz de refletir a radiação UVA e UVB.

Childmode.com3 – O filtro solar deve ser aplicado em toda a superfície corpórea antes da exposição solar e reaplicado a cada 4 horas ou antes, caso ocorra sudorese excessiva ou mergulho. A quantidade recomendada de filtro solar é de 2 mg/cm.

(Trecho retirado do Artigo de revisão: Fotoproteção tópica na infância e na adolescência – link acima):  J. Pediatr. (Rio J.) vol.88 no.3 Porto Alegre May/June 2012 )

MAIS DO MESMO:

Leia no site da AGÊNCIA FAPESP (Fundação de Amparo à Pesquisa de São Paulo), a entrevista com o dermatologista Fernando Stengel, presidente da Fundação Argentina de Câncer de Pele e membro do Conselho Internacional da Skin Cancer Foundation.

Em resumo, ele afirma que a melhor forma de prevençãoao câncer de pele é a “fotoeducação”.

Agência FAPESP – A exposição (ao sol) na infância e na adolescência é mais perigosa?

Stengel – O efeito da radiação é cumulativo, então, se alguém começar muito cedo, tende a ter uma dose maior quando chegar aos 50 anos.

Além disso, queimaduras solares na infância e na adolescência ou episódios repetidos de queimadura em qualquer época da vida aumentam muito o risco de desenvolver melanoma.  Isso é o que se deve evitar ao máximo.

Agência FAPESP – Filtro solar não é uma opção eficaz?

Stengel – Filtros solares são produtos e são vendáveis. Por isso a ideia de que fotoproteção é simplesmente usar filtro solar foi superpromovida. Agora estamos voltando atrás e tentando educar a comunidade.

Protetores solares são eficazes em bloquear a radiação, mas infelizmente não os usamos corretamente.

Mesmo se você usar o melhor protetor solar do mercado, se o sol estiver forte e você começar a transpirar ou entrar na água e usar uma toalha, o produto vai sair.

Agência FAPESP – Existe bronzeado seguro?

Stengel – Não, mas não devemos olhar o sol como um demônio. É uma questão de equilíbrio. A questão é quanto e com que frequência tomamos sol. A


http://agencia.fapesp.br/16012

FONTES:

Jornal de Pediatria. (Rio J.) vol.88 no.3 Porto Alegre May/June 2012

Agência FAPESP

Guia de alimentação infantil – com dicas de cuidados para crianças especiais – Nana Guimarães; 2003. Ed. Ground.

Anúncios

Read Full Post »