Feeds:
Posts
Comentários

Archive for the ‘Anatomia das mamas’ Category

sg_theasianparent_comLeia completo: Relactação e amamentação na Adoção
Dr. Karleen Gribble

Amamentar uma criança adotada é uma possibilidade que poucas pessoas estão cientes.

Não é necessário ter gerado seu filho, ou ter ovários,  para ser capaz de amamentar. E a amamentação pode ser uma experiência muito positiva tanto para a criança, quanto para a mãe.

O processo de produção do leite materno, em casos de amamentação adotiva, é bastante simples.

Durante a gravidez, os hormônios, incluindo estrogênio, progesterona e prolactina preparam os seios para produzir leite.

No entanto, o hormônio prolactina também é liberado em resposta à estimulação do mamilo. Níveis elevados de prolactina podem causar o desenvolvimento de estruturas produção e secreção do leite.

Os níveis de prolactina podem ser aumentados através da utilização de uma bomba elétrica para ordenha ou a amamentação de um bebê.

Uma vez que a secreção do leite materno começa, a saída deste mesmo leite através da sucção faz com que mais leite seja produzido.

O processo de indução da lactação chama-se relactação, trans lactação ou lactação induzida. É um processo normal e natural.

Evidente que relactação não ocorre apenas em amamentação adotiva. Mulheres que desmamaram seus filhos biológicos e desejam reiniciar a amamentação podem re-iniciar esse processo de produção do leite materno da mesma maneira.

E, literalmente, nunca é tarde demais!

Fonte
Australian Breastfeeding Association

Foto
Asosiasi Ibu Menyusui Indonésia

Read Full Post »

Gladyz and Elizabeth (by Kate Hansen)

Gladyz and Elizabeth (by Kate Hansen)

F Savage King

É muito importante entender o efeito da sucção na produção de leite.

Quanto maior a sucção, maior a quantidade de leite produzido.

Se a criança para completamente de sugar ou se nunca começa, as mamas param de produzir leite.

Se a mulher tem gêmeos e ambos sugam, suas mamas produzirão a quantidade extra de leite que precisam.

Isso é chamado lei da oferta e da procura

As mamas produzem tanto leite quanto a criança precisa.

Se a mãe quer aumentar a oferta de leite, deve  estimular a criança a sugar um maior número de vezes e por mais tempo.

NÃO deve perder uma mamada para “economizar” leite – isto fará com que  as mamas produzam menos.

A sucção estimula a produção do leite materno

Ao redor do mamilo há um círculo de pele mais escura chamado de
aréola.

Na aréola há pequenas elevações. São glândulas que produzem um
líquido oleoso.

Esse líquido ajuda a manter a pele do mamilo macia e em boas condições. Logo abaixo da aréola estão os seios lactíferos.

L_Heure de la Tetee des Enfants debiles a la M (1895/1910)

O leite materno é produzido pela ação de hormônios e reflexos.

Durante a gravidez hormônios preparam o tecido glandular para a produção de leite.

O tecido glandular se desenvolve mais e as mamas ficam maiores.

Logo após o parto, os hormônios fazem com que a mama comece a produzir leite.

(nota: produzir, não quer dizer que já começa a “descer” o leite)

Quando a criança começa a sugar, dois reflexos fazem o leite “descer” na quantidade e no momento certos.

Deve-se utilizar todo o  conhecimento sobre os reflexos na orientação das mães.

a Caveman family (BreastfeedingArt)

Prolactina: o hormônio secretor de leite

A glândula pituitária, localizada na base do cérebro, produz um
hormônio chamado prolactina.

A prolactina estimula as células glandulares da mama a produzir o leite.

Cada vez que a criança suga, estimula as terminações nervosas do mamilo.
Estes nervos levam o estímulo para a parte anterior da glândula pituitária
que produz a prolactina.

Esta, através da circulação sanguínea, atinge as mamas que produzem o leite. A prolactina atua depois que a criança mama e produz leite para a próxima mamada.

Essas etapas, desde a estimulação do mamilo até a secreção do leite,
são chamadas reflexo de produção ou reflexos da prolactina.

A glândula pituitária produz mais prolactina durante a noite do que
durante o dia.

Portanto, o aleitamento materno à noite ajuda a manter uma  boa produção de leite.

Ocitocina: o hormônio da “descida” do leite

1963, Asia (BreastfeedingArt)

Quando se observa uma mulher amamentando às vezes se percebem jatos muito finos de leite saindo do mamilo.

Cada jato vem de um duto.

Isto  é a “descida” ou ejeção (ejetar significa expelir, jogar para fora).

O leite  ejetado por pequenas células musculares, situadas ao redor do tecido glandular, que secontraem e jogam o leite para fora.

O hormônio ocitocina provoca a contração dessas células.

Muitas mulheres sentem a contração no começo da mamada. Isto faz com que percebam que o leite está começando a “descer.”

Da mesma forma que a prolactina, a ocitocina é produzida quando os nervos do mamilo são estimulados pela sucção.

A ocitocina é produzida na parte posterior da glândula pituitária e vai pela corrente sangüínea para as mamas.

Atua enquanto a criança está sugando e faz o leite “descer” para esta mamada.

Essas etapas são o reflexo da ejeção do leite ou o reflexo da ocitocina.

A criança não consegue quantidade suficiente de leite somente  pela sucção.

Precisa do reflexo de “descida” para ajudar.

Se o reflexo não  funcionar a criança não conseguirá leite suficiente.

Muito mais em:
Como ajudar as mães a amamentar. King, F.S. WHO/OPAS

Tradução: Zuleika Thomson e Orides Navarro Gordon. – 4ed. Brasília:
Ministério da Saúde, 2001.

Fonte de todas as fotos: o excelente site Breastfeeding Art

Art Sigrid Herr

Read Full Post »