Feeds:
Posts
Comentários

thetruthaboutag_com
Sempre que a questão hormônios no frango é levantada, uma legião de defensores da indústria avícola afirma categoricamente que não, não tem.

Os animais crescem tanto devido aos cuidados com saúde, uso de antibióticos e cruzamento seletivo.

O conceito de Seleção natural foi proposto por Charles Darwin e Alfred Wallace em 1945. Em resumo, quer dizer que apenas os fortes sobrevivem.

Os cientistas das indústrias de alimentos decidiram dar uma força para a natureza, criando ao longo das 3 últimas décadas matrizes mais robustas e resistentes.

Dessa época em diante, antibióticos se transformaram em “promotores de crescimento”, contrariando a lógica, e a seleção natural se mostrou muito mais que fenômeno da natureza.

Veja aqui: Por que a taxa de crescimento de frangos é tão rápida atualmente?

illiliberation_wordpressEm 18 de agosto de 2001, a revista New Scientist anunciou que a empresa farmacêutica Embrex (leia-se Pfizer), financiou 4,7 milhões de dólares para experimentos de clonagem de frangos para a indústria avícola.

Nessa mesma época, métodos de seleção de aves de corte começaram a ser divulgados. Os maiores eram os escolhidos, criando matrizes para as gerações futuras.

Aproveitando-se do pouco conhecimento do público consumidor sobre manipulação genética e transgênicos, cientistas da área passaram a afirmar categoricamente não existir hormônios nos frangos, que é proibido, que é inviável, que é caro, que não há possibilidades de colocar nas rações, fornecer por outros meios, que não tem, e ponto final.

No inicio de 2008, o FDA (Food and Drug Administration) decidiu aprovar o comércio de animais clonados para alimentação humana. Os clones eram de matrizes geneticamente modificadas (OGM).

Meses após, em Chicken genome plucked bare by inbreeding (2008) , a revista New Scientist apresentou os resultados da primeira avaliação genética em aves, realizada por cientistas da Universidade Purdue, Indiana.

health24_comOs pesquisadores utilizaram genomas que foram sequenciados naquele mesmo ano, para medirem a diversidade genética, comparando-as com raças do século XIX e de galinhas selvagens.

Os estudos apontaram que, em média, galinhas modernas super produtivas perderam mais da metade de seus genes originais. Algumas linhagens de frango de corte perderam até 90%.

E esses são os animais selecionados pelos produtores, espalhados pelo mundo através de acordos comerciais,  que “não recebem” hormônios de crescimento, e crescem milagrosamente apenas consumindo antibióticos.

E o hormônio está aonde?

Leia aqui: Frangos, clonagem e manipulação genética 

Fontes bibliográficas

“A Ética da Engenharia Genética e Patentes Animais”, Karen Davis, PhD, The Alliance for Animals, 1996, Universidade de Wisconsin-Madison.

Are we eating cloned meat?, Frank DeFazio, Scientific American, 2008.

Frangos clonados no menu, Andrea Graves, New Scientist, 2001.

Patente. Publicação 1992.
Codes for chicken and turkeys for growth agents
“A presente invenção refere-se genericamente à manipulação de materiais genéticos e, mais particularmente, à utilização de procedimentos recombinantes, para assegurar a produção de polipeptídeos que possuem uma ou mais propriedades bioquímicas e imunológicas de hormonios de crescimento de espécies aviárias”.

Foto 1: thetruthaboutag.com
Foto 2: illiliberation.wordpress.com
Foto 3: healthy24.com

 

Em 31 de março de 2014, a Anvisa (Agência de Vigilância Sanitária), estabeleceu limites de “matérias estranhas” presentes em produtos industrializados como pelos de roedores, insetos mortos ou fragmentos de.

Veja abaixo a tabela.
Depois calcule quanto ingere ao dia:

Fonte: extra.globo.com

Fonte: extra.globo.com

Fonte:
Anvisa interdita canela com pelo de roedores
(extra.globo.com)

SONY DSCSem glúten, sem ovos, sem lactose

Ingredientes
1 ½ xícara  farinha de arroz
1 ½ xícara polvilho doce
1 ½ colher de sopa fermento biológico
3 colheres sopa óleo de girassol
4 colheres sopa linhaça dourada hidratada
1 colher chá de sal
1 xícara chá água morna
1/2 xícara leite castanhas ou amêndoas doces*kuhinjica-mignone_blogspot_it3
3 colheres de sopa açúcar mascavo

Preaqueça o forno
Misture todos os ingredientes
Coloque em uma forma untada. Assar por cerca de 40 minutos.

Com glúten, sem ovos, sem lactose

handmadecharlotte3Ingredientes
750 ml água morna
1 kg farinha de trigo
3 colheres sopa de fermento biológico seco
4 colheres sopa de óleo de girassol
5 colheres sopa de açúcar mascavo
3 colheres chá de sal

Misture a água morna, o fermento, o sal, o óleo, o açúcar e 750 g da farinha de trigo.
Misture bem e deixe crescer até dobrar de tamanho.
Adicione o restante da farinha de trigo (250 g).
Sove a massa até ficar elástica.
Coloque em vasilhame untado, misturando bem com o óleo.
Cubra com pano úmido. Deixe dobrar de tamanho.

Divida a massa em 3 partes iguais. Coloque em formas para bolo inglês untadas.
Deixe que dobrem de tamanho novamente.

Asse em temperatura média (180º C), por 35 a 45 minutos.

Artes comestíveis

1. Pon Nosuke
2. Kuhinjica-mignone
3. Rachel Fawcet

Veja mais:

Receitas para Crianças
Como fazer pão doce vegan macio e saboroso
Receitas caseiras de pão de forma
Pão essênio

Imagem1                                          Fonte: IBFAN -Brasil/Ministério da Saúde (2000)

Assim como as necessidades de ferro corporal estão relacionadas às diversas etapas da vida, o grau de absorção intestinal de ferro também está vinculado à faixa etária. Por exemplo, uma criança de 12 meses apresenta absorção quatro vezes maior do que outras de diferentes grupos etários.

As reservas fisiológicas de ferro (0,5 g/kg no recém-nascido a termo) são formadas no último trimestre de gestação e, juntamente com o ferro proveniente do leite materno, sustentam a demanda do lactente até o sexto mês de vida.

Podemos, portanto, concluir que o nascimento prematuro, pela falta de tempo, o baixo peso ao nascer, e a pequena reserva que se forma no período, associados ao abandono precoce do aleitamento materno exclusivo, são as causas mais comuns que contribuem para a espoliação de ferro no lactente jovem, e consequente anemia ferropriva.

Na primeira infância (de 01 a 03 anos), o problema agrava-se em decorrência de erros alimentares, principalmente no período de desmame, quando frequentemente o leite materno é substituído por alimentos pobres em ferro.

O leite de vaca é um exemplo, pois apesar de apresentar o mesmo teor em ferro que o leite materno, sua biodisponibilidade é muito baixa e, como se sabe, após 01 ano, é frequente a substituição de uma refeição por mamadeiras.

*Leite de vaca integral não é  o mesmo que fórmula láctea de partida ou seguimento.

Fonte
Anemia Ferropriva na Infância. Queiroz, Suzana de S.; Torres, Marco A. de A. Jornal de Pediatria. Rio de Janeiro. 76 (Supl.3):s298-s304. 2000

A anemia causada exclusivamente por quantidades inadequadas de ferro na dieta é rara antes de 06 meses de vida, mas torna-se comum entre 09 a 24 meses.

O padrão alimentar habitual observado em lactentes com anemia ferropriva consiste no consumo de grandes quantidades de leite de vaca* e alimentos não enriquecidos com ferro, nas refeições diárias.

No compartimento de transporte, o ferro se renova no mínimo 10 vezes por dia, sendo a principal via de intercâmbio de ferro entre os diversos compartimentos.

Transferrinas e lactoferrinas são glicoproteínas especializadas pelo transporte de ferro no plasma sanguíneo e no leite materno, respectivamente.

Fonte

Anemia por deficiência de ferro. Freire, Kenia M. Souza. Faculdade de Medicina de Itajubá. MG

Perdeu o apetite por causa do calor? Experimente as receitas abaixo!

Uma salgada:

Para garantir aminoácidos completos, em uma refeição leve, prepare:

Tabule de quinoa
3 xícaras de quinoa cozida
3 pepinos em cubos
1 cebola
2 maços de cheiro verde picado
1 xícara tomates cereja, cortados ao meio
1 xícara de salsa picada
½ xícara hortelã picada
¼ xícara de suco de limão
2 colheres de chá de raspas de limão
½ colher de chá de sal marinho
Pimenta moída na hora
¼ xícara de azeite de oliva extravirgem

Em uma tigela grande, misture todos os ingredientes, terminando com o azeite.

… e duas doces e geladas 

Sorvete de morango com óleo de coco

Ingredientes

01 lata de óleo de coco
Frutas (opcional): morango, mirtilos, framboesa ou outra de época

Dica: Não agite a lata do óleo de coco. Abra com cuidado e retire a parte de cima, onde está concentrada a gordura.
Bata ou processe todos os ingredientes.
Se desejar adoçar, utilize outra fruta doce, tâmaras, uvas passas ou agave
Coloque a mistura em um recipiente e leve ao freezer.

Receita:  blog.freepeople.com


Sorvete de manga com leite de coco

02 mangas tommy
1/2 litro de leite de coco caseiro
2 a 3 colheres da polpa do coco
1/2 limão

Misture as mangas com o leite de coco e bata bem
Acrescente o sumo do limão e a polpa do coco
Leve ao freezer por cerca de 3 horas

Outras dicas para dias quentes:

Ai, que calor!!! Dicas para sair com o bebê/ quantidade de água ao dia

Banana possui consideráveis quantidades de cálcio, ferro e magnésio, o que ajuda a combater vários tipos de alergias.

Contém ainda vitamina C, para fortalecer a imunidade, vitamina B1 (tiamina), auxiliar do sistema nervoso,  músculos e coração, vitamina B2 (riboflavina) que ajuda na cicatrização de feridas, e vitamina B5 (niacina) que interfere no metabolismo das gorduras e açúcares.

Segundo pesquisadores alemães,  a ingestão de três bananas médias fornece cerca de 180 mg de magnésio.

Mas seu forte mesmo é a grande quantidade de potássio, mineral necessário para contração muscular e transmissão dos impulsos nervosos, o que evita cãibras, fadiga e alterações nos batimentos cardíacos.

É benéfica em casos de problemas cardíacos e diurese devido a regimes de emagrecimento. Suas propriedades químicas diferem pouco de uma variedade para outra.

O carboidrato presente na banana estimula o pâncreas a produzir insulina, fazendo com que o carboidrato e os aminoácidos da fruta entrem nas células.

Entretanto, o triptofano é o aminoácido que permanece na corrente sanguínea. Precursor da serotonina, em união como a piridoxina, também presente na fruta,  é importante em tratamentos contra depressão.

E, o melhor mesmo é que banana pode ser consumida como adoçante, no preparo de várias receitas de bolos a cremes, papas ou misturada com outras frutas.

Clique aqui: Biomassa de banana verde / Valores Nutricionais da Biomassa de Banana verde

fun meals 4 kids.jpg4.jpg6

fun meals 4 kids.jpg2

fun meals 4 kids

Fonte: ciagri.usp.br

Fotos: TheBananaPolice

tinyme_comDas frutas, em valores nutritivos, o abacate perde apenas para a banana.

Possui boas quantidades de vitamina C, vitamina E, piridoxina (vitamina B6), ácido fólico (B9), magnésio e potássio, mas sua principal característica está nas suas elevadas taxas de gorduras.

Isso faz com que seja excelente substituto das gorduras convencionais, nas mais variadas receitas doces ou salgadas.

O abacate também auxilia em casos de prisão de ventre, constipação, flatulência, problemas de pele e cabelos.

Reduz o colesterol LDL, aumenta o colesterol HDL, benéfico para a saúde do coração, e também reduz os niveis de glicemia sanguínea e favorece os tratamentos contra o câncer.

Receita de Guacamole

Ingredientes

1 abacate
2 tomates
suco de 1/2 limão
Sal marinho
2 fatias de pão

Abra o abacate e retire a polpa
Misture com os tomates e o suco de limão
Tempere com pitadas de sal marinho
Coloque nas fatias de pão e sirva.

Foto:  www.bosch-home.com.au

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 442 outros seguidores