Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘valor nutricional hot dog’

“Será que tudo o que eu gosto é ilegal, é imoral ou engorda…?”

Toda criança adora cachorro quente. Aliás, não apenas as crianças.

Por outro lado, vez ou outra pipocam aqui e ali pesquisas e estudos sobre o consumo constante de alimentos embutidos (salsichas, linguiças, salame, bacon, presunto…), e sua relação com câncer, doenças cardiovasculares ou diabetes tipo II.

Em maio desse ano, saiu mais uma, realizada pela Faculdade de Medicina de Harvard, e publicada no site do jornal “Circulation” .

Com base na análise de 1.600 estudos que observaram 1,218 milhão de pessoas em uma dezena de países, os estudiosos concluíram que comer apenas um cachorro-quente por dia aumenta em 42% os riscos de sofrer doenças cardiovasculares.

Muita gente não quer acreditar, ou não quer largar o costume de se deliciar com o sanduíche mais popular do pedaço.

Entretanto, se é difícil controlar o desejo, ao menos evite o consumo exagerado.

Para as crianças, de vez em quando, em uma festa infantil, em um sábado ou domingo chuvoso, durante um jogo do campeonato, vá lá, que ninguém é de ferro.

Agora, todo dia, porque hoje estou com preguiça de ir para o fogão, porque basta colocar as salsichas na água, porque o gosto é tentador, porque não conheço ninguém que tenha morrido após a ingestão de salsicha… pense bem.

E pense ainda mais ao dar salsichas para bebês e crianças menores de 2 anos.

Se apresentam refluxo, evite completamente (não apenas salsicha, mas todo alimento embutido).

Se forem alérgicos á caseína do leite de vaca ou intolerantes á lactose, evite pois possuem lactose.

Tem ainda que, em termos nutricionais, um cachorro quente não vale muita coisa para quem quer mais que calorias.

A salsicha possui alguma quantidade de ferro, mas o organismo não o absorve como deveria, e nenhuma fibra, vitamina ou mineral.

Conforme Renata Micha, da Escola de Saúde Pública de Harvard, bacon, salame, linguiças, cachorros quentes e frios devem ser os mais evitados.

Todas as carnes processadas possuem, em média, quatro vezes mais sódio, e 50 % mais nitrato que as não processadas.

Para entender um pouco mais:

“Embutido” é todo produto á base de carne de porco, com a danada camuflada entre pedaços de carne bovina, como nas salsichas.

Para que não haja riscos de intoxicação alimentar, acabam bombardeadas com conservantes e aditivos, além dos corantes que dão aquele tom chamativo.

Entre as substâncias químicas utilizadas está o nitrito (ou nitrato de sódio), que em nosso organismo vira nitrosaminas.

Perigosas, são capazes de causar câncer no estômago, pâncreas ou intestino, além de irritar as terminações nervosas do cérebro.

Do que são feitas as salsichas?

Sabemos que salsichas são produzidas com carnes picadas ou moídas de porco, boi ou frango.

Contudo, o que muitos não sabem é quais pedaços são reservados para a confecção da iguaria: sobras dos cortes tradicionais, e partes pouco apreciadas.

Isso mesmo! Em um pequeno bastão podemos encontrar desde restos das bochechas dos animais até  sobras das vísceras.

No caso das salsichas de frango ou de peru, a carne aproveitada é a que fica grudada nos ossos após a retirada das peças principais.

Ou seja, o que iria para o lixo ou consumo de outros animais, acaba na mesa da família.

Você sabia que…

…o colesterol LDL forma depósitos espessos nas paredes internas das artérias (placas), dificultando o transporte do sangue para o coração, além da criação de coágulos que interrompem o fluxo sangüíneo em alguns pontos?

para cada 1.000 mg de sódio perdemos de 20mg a 40mg de cálcio pela urina? Parece pouco, mas faz uma falta danada para quem precisa de dentes e ossos fortes.

… ‘A maior parte do colesterol presente no corpo é sintetizada pelo próprio organismo, sendo apenas uma pequena parte adquirida pela dieta. Portanto, ao contrário de como se pensava antigamente, o nível de colesterol no sangue não aumenta se se aumentar a quantidade de colesterol na dieta.” (Wikipédia)…

…’tá… mas falta explicar como os níveis de colesterol começam a subir. Não seria pela soma de alguns fatores (alimentação, vida sedentária, etc.)?

Fontes:

Circulation Journals _ American Heart Association

Guia de alimentação Infantil – com dicas de cuidados para crianças especiais (Ed. Ground)

Read Full Post »

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 393 outros seguidores